Por que Amamos Cachorros, Comemos Porcos e Vestimos Vacas

Por que Amamos Cachorros, Comemos Porcos e Vestimos Vacas Book Cover Por que Amamos Cachorros, Comemos Porcos e Vestimos Vacas
Melanie Joy
198

Melanie Joy investiga de forma brilhante e inovadora por que nós estamos tão dispostos a comer certos animais enquanto jamais sonharíamos em comer outros. Nossa disposição para fazer isso só existe porque negamos a realidade. Ignoramos as evidências de que os animais têm consciência e que não precisamos de carne em nossa alimentação, pois, na maioria das vezes, vivemos mais tempo e melhor sem ela. Diferente de muitos livros que explicam por que não devemos comer carne, este explica por que comemos carne e como podemos fazer escolhas mais conscientes, como cidadãos e consumidores.

 

Um livro que vai te fazer pensar… Diferentemente de outros livros que vão em contra do consumo de carne, este livro analisa aspectos culturais profundos e os questiona. A autora vai além de somente explicar seu ponto de vista, ela apresenta questões que podem ser usadas tanto para discussão em grupo quanto para a reflexão do leitor.

O livro nasceu da tese de doutorado da autora, onde ela apresenta o “carnismo” e o explica excepcionalmente bem. Já no primeiro capítulo a autora nos apresenta uma situação chocante “se ao ser convidado para um jantar você perguntasse o que está comendo, e a resposta fosse: carne de Golden Retriever – qual seria sua reação?” A maioria das pessoas sentiria repulsa. Por quê esse sentimento? O ato de comer um animal e não outro, é fruto da cultura do país. O gosto é uma construção cultural. Tanto a predileção quanto a repugnância em comer determinados animais é oriundo do aprendizado.

Além de temas como esse, a autora aborda outros temas como o fato de que o ser humano pode sobreviver tranquilamente sem o consumo de carne.

Ideias Fundamentais:

  • Carnismo é um paradigma dominante e invisível na cultura moderna que apoia o consumo de carne.
  • Existe uma base neurológica para a empatia com o sofrimento animal.
  • O carnismo gera uma dissonância cognitiva, onde animais são vistos como meros objetos de consumo.
  • A necessidade de carne na alimentação humana é uma falácia. 

Melanie Joy é doutora em psicologia e ativista vegana. É professora de psicologia e sociologia na universidade de Massachussetts, em Boston. 

Compre com desconto!

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *